O Centro de Cultura Social de Porto Alegre (CCS-PoA) foi fundado oficialmente em 1986, por alguns grupos anarquistas e libertários que já atuavam na cidade em várias áreas. Trabalhadores
ligados ao projeto de reconstrução da Confederação Operária Brasileira – COB (anarco-sindicalista), ecologistas, estudantes universitários e secundaristas, jovens do movimento anarco-punk, militantes do jornal O Inimigo do Rei e individualidades sentiram a necessidade de criar um espaço que servisse de referência a todo esse trabalho desenvolvido há um bom tempo. Alem disso, entendiam
que através desse espaço seria possível difundir e propagar os ideais anarquistas e libertários, assim como, demonstrar na prática a possibilidade e validade da existência de uma organização baseada
nos princípios da livre associação, autogestão, democracia direta, antiautoritarismo.

O CCS-PoA seguiu a tradição do movimento anarquista no Brasil, que ao longo da sua história criou inúmeros ateneos, escolas, espaços culturais e de convivência. De forma mais direta, inspirou-se na atuação do CCS de São Paulo, uma das grandes referências do anarquismo no Brasil.

Além das reuniões dos grupos que o mantinham, o CCS-PoA realizou diversas atividades como palestras, exibição de filmes, cursos, algumas de caráter eventual e outras que faziam parte do calendário de eventos do Centro, tais como: Semana antimilitarista e Revolução Espanhola. Possuia
também uma biblioteca onde era possível consultar livros, revistas e publicações de diversas partes do mundo. Outros grupos com os quais o CCS-PoA tinha afinidade, como os da Somaterapia, da Biodança, também utilizavam o espaço para suas atividades.


O CCS-PoA abria suas portas sempre que necessário, mas, mantinha um cronograma fixo de funcionamento. Situava-se na Av. Protásio Alves, 491 sala 302, próximo ao viaduto da Rua Mariante.

CCS Poa